Como viver mais e melhor

 

O que faz as pessoas viverem mais e melhor? Quais os fatores ambientais que contribuem para aumentar a vida com qualidade?

Quem nunca leu ou ouviu falar sobre alguma vovozinha que chegou aos 100 anos com saúde, apesar de fumar ou beber ou qualquer hábito considerado danoso à saúde?

Essas pessoas são consideradas sortudas – como se tivessem ganho uma espécie de loteria genética. Ou declaram algum segredinho para viver tanto com saúde: uma receitinha caseira, a convivência com amigos e família, algum hobby…

Dan Buettner, repórter da National Geographic, motivado por esta mesma curiosidade, identificou e vem estudado em profundidade, 5 pequenas comunidades espalhadas pelo globo em que grande parte da população desfruta desta longevidade.

Onde ficam?

Os lugares estão espalhados pelo planeta:

  • Uma pequena área da ilha da Sardenha, na Itália;
  • Parte das ilhas Okinawa, no Japão;
  • Uma comunidade de adventistas em Loma Linda, California;
  • Península de Nicoya, na Costa Rica;
  • Ilha de Icária, na Grécia.

Buettner e uma equipe de profissionais de diversas áreas estudaram a fundo os hábitos e visão de mundo dos habitantes dessas comunidades. Entrevistaram diversos centenários, com histórias extraordinárias e atividades inimagináveis, em busca do que os fazia viver tão mais e melhor do que a média. Dentre as diversas peculiaridades de cada uma dessas regiões eles identificaram 9 aspectos em comum, e que não têm nada a ver com a genética.

As nove lições

1 – Eles são naturalmente ativos. Estas pessoas não fazem atividades físicas específicas com o objetivo de manter a saúde, mas se mantêm naturalmente ativos caminhando, cuidando de plantas e mantendo as suas atividades usuais – não se aposentam.

2 – Mantêm atividades regulares que reduzem o estresse. Seja meditando, rezando, cochilando à tarde ou fazendo happy hours com amigos.

3 – Sentido. Ao se manterem produtivos, eles preservam o sentido de suas vidas. Os moradores de Okinawa usam a expressão Ikigai e os costa-riquenhos “Plan de Vida”, ambos para definir o que os motiva a acordar pela manhã.

4 – Comem moderadamente. O que os japoneses de Okinawa chamam de “regra de 80%”, ou seja, parar de comer quando o estômago está 80% cheio, é uma pratica comum entre as 5 comunidades. Todos se alimentam moderadamente, principalmente à noite.

5 – Alimentação baseada em vegetais. Todos eles apresentam uma alimentação natural, com pouca carne, consumida poucas vezes por mês e em pequenas porções.

6 – Bebem moderadamente. Com exceção dos adventistas, as demais comunidades estudadas consomem bebidas alcólicas moderada e regularmente.

7 – Pertencem a uma comunidade. Todos fazem parte de alguma comunidade religiosa ou espiritual, que frequentam regularmente.

8 – Mantêm relações próximas com suas famílias. Essas comunidades vivem muito próximas de seus núcleos familiares. Os parentes idosos moram com os mais novos, os casais se mantêm unidos a vida toda, e as crianças são cuidadas por toda a família.

9 – Eles fazem parte do que Buettner chama de “as tribos certas”. Ou seja, vivem em comunidades que compartilham e apoiam esses comportamentos saudáveis, e assim, são influenciados positivamente.