A vida começa a mudar quando a gente acredita que ela pode mudar

Uma das maiores revoluções da minha vida aconteceu quando eu descobri, estudando a Psicologia Positiva, o conceito de neuroplasticidade. A neurociência vem pesquisando e revelando que o cérebro humano é capaz de se modificar em qualquer fase da vida. Não só nos primeiros anos de vida, como se acreditava até então. Assunto fascinante a ser melhor explorado em outro momento. Aí, cética que sou, comecei a dar ouvidos a coisas que até então, para mim, estavam no universo da auto-ajuda. Ou seja, coisas a serem desconsideradas. Bobagens. Acredite no que você...

Continuar lendo

Como ser MAIS feliz?

Há alguns anos eu venho estudando sobre a felicidade. Aprendi muito, mudei completamente a vida e me apaixonei pelo assunto – tanto que resolvi começar a escrever sobre. E, já que é para dividir os achados, resolvi fazer uma volta ao básico. Tanto aos primeiros textos que li sobre o assunto, como aos autores que deram origem aos estudos recentes sobre a felicidade. Tal Ben-Shahar é um dos “pais”da Psicologia Positiva, e o professor do famoso “curso mais popular de Harvard”. Em seu livro “Happier”, ele descreve a Psicologia Positiva como...

Continuar lendo

O que é felicidade?

Felicidade está na moda. Desde que eu comecei a pesquisar sobre felicidade, o assunto já foi capa de revistas como a TIME e a Harvard Business Review, dentre várias outras. E como tudo que está em destaque, existe um excesso, existe uma banalização e existem críticas. Então eu vou falar do meu conceito de felicidade. Emprestado de vários autores, de várias leituras e mediado pela minha visão. Felicidade não é alegria momentânea. Felicidade não é produto de livros de auto-ajuda. Felicidade não é euforia. Felicidade é uma satisfação geral com a...

Continuar lendo

Neurocientista afirma: bem estar é uma competência

  “O bem-estar não é fundamentalmente diferente de aprender a tocar violoncelo”, afirma Richard Davidson, neurocientista e psicólogo com PhD em Harvard, e autor de alguns livros sobre o tema. Em uma conferência sobre o assunto no começo deste ano, Dr. Davidson falou sobre os 4 componentes que, se exercitados, aumentam a sensação de bem estar, de acordo com pesquisas recentes. Segundo ele, os circuitos neurais envolvidos nestas áreas apresentam pasticidade – ou seja – ao exercitá-los o cérebro se altera fisicamente para melhor. “Eu acredito que exercitar nossas mentes deve ser...

Continuar lendo

Os benefícios da felicidade

Ser mais feliz é uma utopia? É conversa de gente “zen”, descoladas do mercado, do quotidiano das pessoas médias? É uma bobagem para quem não tem outras preocupações mais imediatas? A origem deste blog foram minhas pesquisas sobre Psicologia Positiva, mas eu nunca parei para escrever mais sobre elas. Agora, quando quis começar, não sabia bem por onde, pois é um universo fascinante, com muita literatura muito rica. Então encontrei uma síntese muito bem feita no site Flourisher, que resume algumas conclusões de pesquisas sobre o assunto. Abaixo eu selecionei algumas das...

Continuar lendo

Como ser mais feliz já!

Feliz ou infelizmente, a fórmula mágica da felicidade não existe. Ganhar na loteria ou comprar uma Ferrari são fórmula já testadas que não levam a um aumento de felicidade, além do prazer imediato. Nem publicar fotos deslumbrantes no Facebook, aliás. A felicidade pode sim, ser incrementada, mas exige esforço e dedicação. Exige tempo. O monge budista Matthieu Ricard, em seu livro “A Arte da Meditação”, tem uma metáfora linda sobre a meditação, que serve bem aqui. (A meditação, aliás, é uma das práticas que aumentam a felicidade). Para uma planta crescer...

Continuar lendo

E no final, o que conta?

A gente passa a vida sem muita reflexão, fazendo coisas mesquinhas, mas, no fim, o que conta são as emoções positivas, certo? Ah, mas não é assim para todo mundo. Tem gente que é essencialmente ruim, que tem maldade no coração. As tais emoções positivas não são importantes para todos. Certo? Foi publicado ontem, no Scientific American  um artigo relatando um estudo feito com 534 prisioneiros sentenciados com pena de morte e executados no estado do Texas entre 1982 e 2016. Dos 534, 417 optaram por fazer uma declaração final. Estas...

Continuar lendo

As mídias sociais e a felicidade

Existe alguém hoje em dia que não esteja envolvido com as redes sociais? Acredito que não. Desde os bebês que têm cada instante de sua breve existência publicados pelos pais, até os idosos, que podem até não saber usar, mas acompanham indiretamente o fenômeno através da família, imagino que, se existem pessoas desconectadas, elas devem estar em países ou comunidades muito distantes e desligadas do modus vivendi contemporâneo. E, em decorrência dessa massiva presença em nossas vidas, as mídias sociais se tornaram objeto de estudo de quase todas as ciências sociais...

Continuar lendo