As promessas de ano novo

A iminência do começo de um novo ano sempre provoca reflexões. É a hora que muitas pessoas param para fazer um balanço do que fizeram no ano que se encerra e de fazer promessas para o novo ano.

A maior parte delas é esquecida ou abandonada antes do fim de janeiro, entretanto. Porque? Acredito que um dos motivos é porque elas são muito amplas, vagas, ambiciosas. As pessoas pensam em um ideal distante e que implicam em mudanças muito radicais, que tornam a prática muito difícil. Coisas como “perder dez quilos”, ou “ter mais tempo livre” não dizem muito sobre o que fazer no dia dois de janeiro.

Outro motivo pelo qual eu acredito que muitas das promessas são abandonadas, é porque elas não refletem o real objetivo das pessoas. Será que “perder dez quilos” é um objetivo, ou um meio? O que as pessoas de fato esperam ao perder dez quilos? Se sentirem mais saudáveis? Ficarem mais bonitas? Atrair um novo amor, ou melhorar o atual? E como será que esperam perder estes dez quilos? Fazendo alguma dieta maluca de privação de seus prazeres? Entrando para a academia e se acabando de fazer exercícios? Será que na prática essa pessoa se sentirá mais feliz ao longo deste processo, ou mais estressada? Será que, ao fim deste processo, assumindo que de fato o projeto será posto em prática, os quilos perdidos trarão o resultado esperado, se é que se tem consciência de qual é este resultado? Acredito que a fragilidade deste raciocínio é que põe a perder as boas intenções da virada do ano.

O que você REALMENTE deseja de 2016? Melhorar a sua qualidade de vida? Se sentir mais saudável? Se sentir mais feliz? Ter mais tempo com sua família? Quais os passos que te levarão ao seu objetivo? Eles são compatíveis ou contraditórios com o objetivo final?

Acredito que estas reflexões tornam o projeto de definição de metas mais claro, ajudam no auto conhecimento e podem fazer com que de fato algo de construtivo e positivo resulte deste momento tão gostoso, de nos sentirmos diante de um ano em branco para fazer dele o melhor possível!